PONTOS DE IANSÃ


1-
Eparrei na Aruanda
A nossa mãe é Iansã
Gira deixa a gira, girar
Gira deixa a gira, girar
Oh deixa a gira, girar
Saravá Iansã
Meu Pai Xangô e Iemanjá
Eh oh, deixa a gira, girar


2-
A Iansã é rainha de Umbanda
Mais ela é dona do seu Jacutá
Oh Eparrei, Eparrei, Eparrei
Oh mamãe de Aruanda
Segura o terreiro 
Que eu quero ver


3-
Chora na macumba Iansã
Chora na macumba Iansã
Estava na beira da praia 
Iansã chorou, chorou, chorou


4-
Oh Santa Barbara de Nagô ela é
Oh Santa Barbara Nagô é, ela é
Santa Barbara é moça linda, ela é
Oh moça dos cabelos loiros, ela é


5-
Santa Barbara virgem 
Dos cabelos loiros
Mora na pedreira 
Na terra do ouro


6-
A Iansã é mulher guerreira
A Iansã é mulher guerra
A Iansã é mulher guerreira
A Iansã é mulher guerra


7-
Oh minha Santa Barbara
Kaô, Kaô 
Oh meu São Jerônimo
Kaô, Kaô


8-
Eu sai a procurar
Um fundamento ninguém veio a saber
Oi abre a porta venha receber
A Iansã, Santa Barbara de Nagô


9-
Estava numa ladeira 
Sem poder descer 
Oh Santa Barbara virgem 
Venha nos-vale


10-
Iansã tem um leque de pena
Pra abanar em dia de calor
Iansã mora nas pedreiras 
Eu quero vê meu Pai Xangô




11-
Iansã Orixá de Umbanda
Rainha do nosso congá 
Saravá Iansã lá na Aruanda, Eparrei!
Eparrei Iansã venceu demanda
Iansã, saravou pra Xangô 
No céu, onde se coroou 
E lá nas matas leão bradou
Saravá Iansã 
Saravá Xangô


12-
Oiá é moça rica,
Ela é filha de Xangô
Iansã chegou na Umbanda 
O seu reino saravou


13-
Iansã, Iansã 
Segura seu Erere, Iansã
Oh Iansã, oh Iansã 
Segura seu Erere


14-
Oh venha me valer, Senhor
Santa Barbara está chamando e Xangô
Vá dizer a Santa Barbara 
Pro vento continuar
Tenho pena mãe de Deus,
Eu vou para o congá 
Eu vou para o congá



15-
Oh Eparrei minha mãe de Aruanda
Mais ela é dona do seu Jacutá

E re re re
E re re rá
Minha mãe de Aruanda 
Tem mironga lá no mar


16-
Minha Santa Barbara 
Que linda coroa
Pelo amor de Deus, 
Santa Barbara não me deixe a toa


17-
Aê dim dim
Aê dim dá 
E a matamba de Aruê 
E a matamba de Aruá


18-
Olha a matamba eta deme
Olha a matamba eta deme

Caboclo é da morunganga eta deme
Oh Iansã olha a matamba eta deme


19-
Raio de luz clarão no céu
É ventania que vem lá
A noite inteira vento vem e vai 
Rodopiando a bailar
Com a espada erguida ao luar
Surge a guerreira 
É Iansã varrendo os males 
É Iansã oh mãe valei-me
Levai nesses ventos os nossos tormentos 
Levai minha dor 
E quando sessar a tempestade
E eu vislumbrar um novo amanhã 
Explode em meu peito um brado Eparrei
Oh mãe Iansã
Põe no tacho azeite pra ferver  de Oiá 
Põe meio tempero desse acarajé
Que possuir coragem pra seguir viajem 
Filhos que tem fé 


20-
Oh Oiá me chamou 
Eu fui atender 
Tava sentada Iansã 
Na palha do dendê
Oh guerreio, guerreio relampejou
Oh voou cravo, voou rosa relampejou


21-
Ventou, mas que ventania
Iansã é nossa mãe
Santa Barbara é nossa guia


22-
Iansã é a dona do mundo
Dona do fogo, da faísca e do trovão
Eparrei Iansã na Aruanda 
Santa Barbara com a espada na mão


23-
Ela é matamba
Ela é Oiá
Ela é Iansã
Desse Jacutá
Ela é matamba
Do cabelo loiro
Senhora dos ventos
Da espada de ouro


24-
Saravá Iansã do cabelo loiro
No mar tem água, na sua pedra tem ouro
Le, le le e
Le, le le á
Saravá Iansã que é rainha do mar


25-
Saravá deusa maior
Iansã é moça rica
Iansã deusa dos ventos
Saravá moça bonita
Iansã é minha mãe
Rainha do Jacutá
Vem gritado Eparrei
Roda a saia que eu quero ver
Filho de Umbanda não tem querer


26-
Ventou nas matas
Ventou nas pedreiras
Que vento forte nas cachoeiras
Não era Oxossi, nem é Xangô
Era Iansã com seu batacotô
Deusa dos ventos e do trovão
Oh minha mãe quero sua proteção


27-
Iansã, Oiá divina no axé
Eparrei Oiá
Santa Barbara ela é
Já trovejou relampejou
Cadê Oiá Xangô
Iansã, Oiá divina no axé
Eparrei Oiá
Santa Barbara ela é
O Cálice Bento ela segurou
Sua espada sagrada ela arriou
Eparrei Oiá, Eparrei Oiá


28-
Eparrei, Eparrei 
Eparrei bela Oiá
Iansã olha a matamba 
Iansã olha a matamba

A minha santa guerreira venha me valer
Oh me sinto num abismo não sei o que vou fazer
Em meio a escuridão veio um raio clarear
Me mostrando o caminho que eu possa passar
Eparrei, Eparrei 
Eparrei bela Oiá
Iansã olha a matamba 
Iansã olha a matamba 
Peço que nesse caminho bons ventos possa soprar
Afastando as nuvens negras que querem me derrubar
Se nele encontrar espinhos em flores eu vou pisar
Pois sou filho de Iansã poderosa Iabá


29-
Iansã é rainha dos ventos
Deusa dos raios do corisco e trovão
Eparrei, Eparrei Eparrei
Oh mamãe de Aruanda
Ela vem na Umbanda visitar seu ilê
Bate paô iaô, bate paô
Bate paô iaô, pra Iabá bate paô


30-
Oiá, Oiá olha a matamba
Olha seus filhos Iansã aqui na banda
Um banho de ervas de Iansã eu vou tomar
De joelhos eu imploro minha deusa bela Oiá
Os meus caminhos eu preciso seguir
Eu chamo por Iansã para vir me conduzir
Oiá, Oiá olha a matamba
Olha seus filhos Iansã aqui na banda
Deusa dos ventos rainha do bambuzal
Santa do acarajé livrai-nos de todo mal
Seus filhos pedem em nome de Oxalá
Oiá Iansã guerreira não deixa seus filhos tombar


31-
Sinda, sinda cóké
Vai na Angola gira
Samba lêlê, oh, quirombó
Santa Barbara do Jacutá


32-
Iansã chegou no reino
Chegou com chuva e com vento
Ela é dona de Jacutá veio saravá
Os filhos do congá


33-
Oh Iansã se ela é minha mãe
Se ela é minha mãe
Ah eu quero ver
Oi saravá Ogum Megê
Oi Iansã Eparrei Eparrei


34-
Eu vi Iansã e Xangô
Estavam sentados em cima da pedra
Estavam rezando por todos os seus filhos
Saravá Iansã e Xangô


35-
Numa bela noite eu caminhava
Sozinho pedindo proteção
Deu um relâmpago no céu
O céu clareou
Me ajoelhei e Iansã me abençoou


36-
Iansã rainha dos astros
Iansã é moça de imbera
Iansã é adelina
Iansã também é Oiá e Obá


37-
O ronco da pedreira e a trovoada
Ecoou lá na mata
Ecoou lá na serra
Todo o povo de Iansã 
Todo o povo de Xangô
Chegou cá na Terra
Chegou para a guerra


38-
Oi Iansã de cabelos loiros
De espada na mão
Traz Ogum Megê
Como companheiro
E na calunga
Ela vem firmar


39-
Quando ela passa
Iansã vem cheia de graça
Com sua espada na mão
Minha mãe guerreira
Me ajuda a toda hora
Minha mãe guerreira
Me ajuda a vida inteira


40-
Ela é minha mãe guerreira
De cabelos loiros ela vem
Com trovoada e muito vento
Espada na mão
Ela vem, para guerrear
Ela é Iansã
E Iansã guerreira
Ela vem, para guerrear


41-
Corre vento
Trovoada tá no espaço
Tempestade não é brincadeira
Saravá Iansã guerreira


42-
Loira muito formosa ela é
Domina o vento e o trovão
Iansã guerreira
Não treme não


43
Iansã vem 
Ela vem beirando o mar
Ela vem com trovoada
Ela vem com muito vento
Ela vem lá de Aruanda
Com a espada na mão
Ela vem trazendo vento


44-
Eparrei mamãe
Eparrei Iansã
Dona dos Eguns,
Mamãe vem girar,
Com Ogum Megê 
Ela vem cruzando,
É no cruzeiro Mamãe, mamãe vai firmando,
Ela vem com o vento,
Ela vem com a água
Mamãe Iansã! 
Veio saravá 


45-
Saravá Iansã 
Minha mãe querida
Com sua espada na mão
Ela vem trabalhar,
Saravá Pai Xangô,
Saravá Iansã
Trovoada roncou
Mamãe vem saravá


46-
Eu vi essa menina
Saravando no congá 
Salve seu leque de pena 
Rainha do Jacutá 
Iansã é muito linda
Mais que linda que ela é
Iansã esta no terreiro 
vem trazendo seu axé


47-
Moça rica com sua espada
Sua coroa é cravejada de brilhantes
Quimbanda, auê! Quimbanda auê


48-
Oh mamãe ela vem de Aruanda 
Ela vem com chuva e com vento
Na terra ela vem firma


49-
Eram duas ventarolas
Duas ventarolas 

Que voavam sobre o mar
Uma era Iansã Eparrei!
A outra era Iemanjá Odociaba


50-
Oh Iansã menina
Dos cabelos loiros,
Ela está sentada 
Na mina de ouro.


51-
Ventou mais que ventania
Ventou mais que ventania
Iansã é nossa mãe
Santa Barbara é nossa guia


52-
Ela é minha mãe guerreira
Com seu cabelo cor de ouro
Com sua espada na mão
Ela é Iansã guerreira
Que chegou nesse congá


53-
Iansã sua espada é luminosa
Sua coroa enfeitada de rosas


Iansã sua espada é luminosa
Sua coroa enfeitada de rosas
Okê banda Odé
Okê banda Odé
Saravá a coroa de Iansã
Que ilumina nossa fé
Iansã senhora da banda
É a rainha do seu congá
Salve Iansã lá na Aruanda
Eparrei, Eparrei
Iansã vence demanda


54-
Espia o que vem pelo céu
Olha o que vem pelo mar
Ela é nossa mãe Iansã
Ela é a rainha desse congá
Iansã cruzou na linha de Xangô
Lá na mata leão bradou
Saravá Iansã lá na Aruanda
Eparrei, Eparrei
Iansã vence demanda


55-
Eu vi Santa Barbara e Xangô-ô
A trovoada roncou lá no mar
Olha a mujinga de congo ê, ê, ê 
Olha a mujinga de congo ah, á, á


56-
Eu vi Santa Barbara e Xangô
Sentados em cima da pedra
Olha seus filhos que vão pra guerra
Olha seus filhos que vão pra guerra


57-
Iansã o seu leque é de ouro
Vem do céu, Oxalá quem mandou
Pra salvar os seus filhos Iansã
Na hora da agonia e da dor


58-
Oh Nanã
Nanã Buruquê
Iansã moça rica
Vem me socorrer


59-
Minha Santa Barbara crioula auê
Minha virgem santa 
Quem manda e desmanda
É Deus


60-
Minha Santa Barbara venha me valer
Meus inimigos tão querendo me vencer
Não vence não porque Deus não quer
Minha Santa Barbara é a rainha de guiné


61- PONTO DE SUBIDA


Oh minha Santa Barbara 
É hora
Filhos de Umbanda, mamãe
Sempre aqui choram